Facebook
  RSS
  Whatsapp

  14:20

Genro da secretária de educação de Campo Maior (PI), irmã e sobrinha, receberam depósitos de empresa; diz site

 Adailton Moraes / Francisco Wilson

As informações sobre a operação da Polícia Federal em Campo Maior, com buscas e apreensões nas casas de servidores da prefeitura, ganham novos capítulos e ultrapassam os limites do município, onde algumas pessoas, dependendo da preferencia política, veem apenas como perseguição ao gestor ou revanche de politica, sem se ater às provas robustas levantadas pela Policia Federal.

 Nesta quarta-feira o portal AZ de Teresina publicou informações de que o secretario municipal de Fianças de Campo Maior, Adailton Oliveira de Moraes, que também é genro da secretária de educação Maria José Andrade, recebeu volumosas transferências da empresa que teria sido beneficiada em contratos na Educação, para a venda livro paradidáticos.

A investigação da Polícia Federal é na Secretária de Educação, mas segundo o próprio portal da transparência da prefeitura de Campo Maior, a mesma empresa abocanhou mais dois contratos com a secretária de Administração e de Assistência Social de Campo Maior. E vendeu serviços à Secretária de Saúde, pelo contrato firmado com a secretaria de administração.

Segundo a reportagem do AZ, a investigação da PF aponta que a irmã de Adailton, identificada pelas iniciais A. O. G, também recebeu, em praticamente dois anos, mais de R$ 1 milhão e 500 mil Reais. Ainda segundo a reportagem a mulher aparece até como beneficiaria do auxilio emergencial do governo federal no período.

Ainda segundo a reportagem, uma sobrinha do Secretário de Finanças, filha de mulher já citada, de iniciais Y. G, também recebeu transferência da mesma empresa, no valor aproximado de R$ 150.000,00 na conta jurídica. Diz a reportagem, ainda, que a moça era proprietária de uma construtora com endereço na cidade de Altos-PI, mas as investigações da PF apontaram que no endereço citado não existe nada. Ela ainda recebeu outra transferência no R$ 20 mil em sua conta pessoal.

Outro secretário do município recebeu transferência da mesma empresa 

A matéria do AZ ainda cita o Secretário de Limpeza, Francisco Wilson, que em 2021, recebeu em sua conta pessoal, um depósito de R$ 25 mil, que, segundo as investigações, é “uma transação financeira muito suspeita”.

Gratidão do empresário à Familia Félix 

A reportagem do site diz ainda que o dono da empresa citada nas investigações tem uma gratidão ao prefeito João Felix, a seu filho, o deputado estadual Dogin Felix, pré-candidato a prefeito de Jatobá do Piauí, e que a demonstração de gratidão do empresário seria em forma de pagar vantagem indevida.

  Patrimônio incompatível com o salário 

A reportagem do site ainda cita a vida luxuosa que o secretario de finanças de Campo Maior leva. Carro avaliado em R$ 300 mil e estaria pagando duas faculdades de medicina para familiares, gastos incompatíveis com seu salario de secretário, que é de R$ 6.300.00 (valor líquido).

A Polícia Federal informou, no dia da operação em Campo Maior, que havia apreendido documentos, quantia em dinheiro, armas, munições, automóveis, visando ao futuro ressarcimento ao erário dos prejuízos causados pelos crimes investigados, mas não citou de quais servidores foram as apreensões.

Matérias Relacionadas: 

Prefeitura de Campo Maior admite contrato com empresa investigada pela PF

Delegado da PF diz que a suposta fraude na educação de Campo Maior (PI) pode ter agido na compra de livros

Prefeitura de Campo Maior (PI) assinou quatro contratos com empresa investigada pela PF

Mais de Campo Maior