Curta a nossa página
 
30/10 22h52 2016 Você está aqui: Home / Blog da Ana Ana Maria Cunha campomaioremfoco@hotmail.com

GRATIDÃO

Quanto mais se agradece, mais coisa boa acontece!

Não conheço ninguém que diga ter vivido apenas plenitude em sua vida, todas as pessoas em algum momento terão que passar por apertos, dificuldades e dissabores. Então como é que algumas delas conseguem ser felizes?

 

Tudo depende da pessoa e não do ambiente em que vive ou do momento que está passando. Porque a felicidade está no nosso modo de ver as coisas, e não na coisa em si. Algumas pessoas mesmo estando em um momento bom, preferem sofrer pelo que já passou, ou sofrer com medo pelo que há de vir e assim vivem sua vida com medo.

 

Quantas vezes nos deparamos com pessoas sentadas numa mesa com amigos ou familiares, às vezes até  numa festa e, em vez de se divertirem ficam falando de problemas, do passado, de situações difíceis que passaram. Se falam do presente só citam as desgraças e desavenças do campo político e econômico do país ou da cidade em que moram. Não sai uma noticia boa! Elas talvez não percebam, mas estão sofrendo e fazendo sofrer aqueles que as escutam. Sim porque a tristeza é uma doença contagiosa, assim como a alegria é contagiante. E uma conversa ruim puxa outra, e mais outra...

 

Quantas vezes também já ouvimos pessoas dizendo: “Estou tão alegre hoje que já estou até com medo do que vai me acontecer de ruim”. Ou então: “alegria de pobre dura pouco”, ou outros clichês que nos remetem a pensar que é errado ser feliz.

 

A gente não imagina como essas pessoas são infelizes. Podem ter nas mãos um grande amor. Uma família linda. Um trabalho gratificante. Ou outros bens incalculáveis, mas não se sentem realizadas. Se alimentam da insatisfação e só estão bem quando estão ruim... algo assim!

 

E ainda há aquelas pessoas, talvez a maioria,  que só se sentem felizes se tiverem dinheiro no bolso. Ou uma rica conta bancária. Não que dinheiro não seja bom, seria hipocrisia dizer que não. Pelo contrario, dinheiro é fundamental, mas não é tudo. Tem coisas bem mais essenciais, como saúde. Aliás a saúde, na verdade, é um dos bens mais preciosos, pois sem ela não podemos ganhar dinheiro, mas se for preciso, tiramos até o último centavo do bolso para recuperá-la. Quantas vezes somos ricos em saúde física e mental, mas não percebemos e não agradecemos. Como somos ingratos!

 

Mas tem outro bem que talvez esteja acima até da saúde, na escala de valores, que é a fé. Pois quantas pessoas eu conheço que não tem saúde, mas tem fé e vão seguindo alegres pela estrada vida. E outras que tem saúde perfeita, tem dinheiro no bolso, mas não conseguem encontrar alegria em nada por falta de fé! Também não agradecem o que têm e por isso são infelizes.

 

A  palavra AGRADECER talvez seja a chave para percebermos e adquirirmos nossa felicidade. Se tivermos o hábito de agradecer, passaremos a olhar para o que temos e não para o que não conseguimos ainda. Perceberemos detalhes e coisas que nos deixam tão bem, que talvez até possamos reconhecer que já temos felicidade, mesmo em pequenas doses. Sempre ouvi dizer que “Quem não agradece o pouco, não merece o muito”. Quanto mais se agradece, mais coisa boa acontece!

 

A vida nos mostra o tempo todo que existem dois lados. Um lado onde a gente vê o que é bom e o outro que a gente vê apenas o que não é bom. Isso não depende da posição em que nos encontramos, mas da posição para onde olhamos. A decisão é nossa de para onde queremos olhar. Ninguém nos obriga a nada, mais uma vez estamos diante de nossas escolhas. Por isso não podemos culpar ninguém pelo nosso estado atual. Nós que escolhemos como estar neste momento. de escolha em escolha fomos chegando onde estamos. No entanto podemos mudar de lugar!

 

O bom seria se todas as pessoas olhassem para o lado bom, para as coisas boas que tem. Porque se for procurar graça vai encontrar graça, mas se for procurar desgraça também vai encontrar. Como eu falei, tudo depende de para onde voltamos nossos olhos. 

 

Se formos olhar para o passado que seja para agradecer, pois o que não foi bênção, foi lição e gerou aprendizado. E se formos olhar para o futuro, que seja com fé e não com medo. Mas que nada nos impeça de viver o presente, com os olhos voltados para o que há de bom em nossa vida!   


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.