Facebook
  RSS
  Whatsapp

  02:16

Barbeiro piauiense é condenado pelo STF a 11 anos de prisão por participar de badernas do 8 de janeiro

 Fotos: Divulgação e Reuters

O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou João Oliveira Antunes Neto, de 20 anos, a 11 anos e seis meses de prisão, em regime fechado, por participação nos atos de badernas no dia 8 de janeiro, batizado por ministros e políticos como atos golpistas. O jovem que se identifica nas redes sociais como barbeiro profissional e "cristão pregador do evangelho de Jesus Cristo" está preso desde então em Brasília.

Com esses, a Corte condenou até agora 116 executores dos ataques às sedes dos Três Poderes, quando o Congresso, STF e Palácio do Planalto foram invadidos e destruídos. Dos cinco crimes denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR), João foi condenado por três.

O jovem, assim como os demais acusados, foi julgado de forma individual no plenário virtual do supremo. Ele foi condenado na segunda-feira (26).

O presidente do STF, Luís Roberto Barroso, afirmou que os ataques configuraram o chamado crime de multidão, quando um grupo comete uma série de crimes, sendo que um influencia a conduta do outro, num efeito manada. Com isso, todos precisam responder pelo resultado dos crimes.

Quem é João Oliveira Antunes Neto
Natural de Dirceu Arcoverde, 576 ao Sul de Teresina, ele reside atualmente no Distrito Federal, onde frequentou uma escola de barbearia especializada em atendimentos sociais, localizada em Ceilândia, uma das regiões administrativas do DF.

Nas redes sociais do jovem não constam postagens relacionadas aos ataques ou mesmo de teor político. Quase todas as publicações são de cunho profissional e religioso.

Fonte: G1

Mais de Geral