Facebook
  RSS
  Whatsapp

  03:26

Policial invade casa por engano, aponta arma para moradora e a segura pelo pescoço

 Foto: imagens de câmeras de seguranças

Policiais civis arrombaram um portão e invadiram uma casa por engano durante o cumprimento de um mandado na manhã desta quinta-feira (11), em Aparecida de Goiânia, região metropolitana de Goiânia. Um vídeo mostra quando os policiais tentam interromper a gravação da moradora e, em seguida, percebem o erro. Nas imagens, uma policial aparece apontando uma arma para uma mulher que não tem relação com o mandado.

Ao filmar a discussão com os policiais, a moradora da casa afirma que tem dois filhos, uma menina de 9 anos e um menino de 2 meses que, segundo ela, acordou e estava chorando porque os policiais arrombaram o portão.

“Quero a minha advogada, eu tenho direito. Ela meteu a mão no meu pescoço. Olha o que vocês fizeram no meu portão”, afirma a moradora na gravação.

Em nota, a Polícia Civil (PC) informa que a Superintendência de Correições e Disciplina apura os “supostos abusos” cometidos. Além disso, afirma que os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos dentro da legalidade, conforme deferimento de ordem judicial.

"Ela - a policial - estava com a mão no gatilho, eu fiquei assustada e traumatizada lembrando de como ela entrou na minha casa. Minha filha estava atrás de mim com meu outro no filho no colo. Poderia ter acontecido uma fatalidade", disse a empresária Tainá Fontenele.

Em entrevista à TV Anhanguera, o empresário Thassio Silva, marido de Tainá, disse que questionou os policiais sobre para quem era o mandado, mas eles não o responderam e só disseram que iam arrombar.

Busca por nome de pessoa desconhecida

A gravação mostra que, durante a discussão, os moradores pedem para os agentes falarem o nome da pessoa alvo do mandado. Após o nome ser anunciado, a moradora alerta: “Quem é [essa pessoa]? O mandado está na casa errada”. Na gravação, é possível ouvir o choro de um bebê ao fundo e perceber que a mão da mulher tremendo.

A discussão continua, e a gravação é interrompida após pedirem para ver o endereço do mandado. Conforme apurado pela TV Anhanguera, os moradores registraram um Boletim de Ocorrência (BO) na tarde desta quinta-feira (11).

Com informações do G1

Mais de Geral