Facebook
  RSS
  Whatsapp

  18:55

Quatro pessoas são presas suspeitos de envolvimento na morte da influencer Sâmya Silva

 Foto: Arquivo pessoal

Quatro pessoas foram indiciadas pela morte da influencer Samya Silva, assassinada a tiros na Avenida João XXIII, Zona Leste de Teresina, no dia 1º de outubro de 2023. Segundo a delegada Nathalia Figueiredo, responsável pelo caso, os quatro denunciados já estão presos.

Os quatro suspeitos indiciados foram identificados como Raimunda Vitória, Israel, Davdy e Felipe. Eles foram indiciados por homicídio com três qualificadores: motivo torpe (o fato da vítima ser envolvida com uma facção criminosa rival), sem chance de defesa da vítima e perigo comum (porque os disparos foram realizados em via pública).

Além deles, um homem chamado Herbert, apontado como mandante do crime, faleceu após ser preso em janeiro de 2024.

"A Sâmia fazia parte de uma facção, além de praticar tráfico de drogas, e foi morta justamente por membros da facção rival. Os quatro foram acusados de homicídio com três qualificadores.. Além disso, eles foram indiciados por organização criminosa", explicou.

Segundo a delegada Nathalia, uma nova investigação foi aberta para investigar outras pessoas que teriam participação indireta no crime, que foram descobertas durante a investigação principal.

Presos anteriormente 

No dia 10 de janeiro, oito dias antes do fechamento do inquérito, a Polícia Civil divulgou o nome de seis pessoas que foram presas suspeitas de participarem da morte da influencer. Um dos presos, suspeito de ser o mandante do crime, identificado apenas como Herbert, morreu após a prisão.

Além de Herbert, foram presos anteriormente, em data não informada pela polícia, Israel, Felipe, Davdy, Francilda e Vitória (as duas são esposas de dois dos suspeitos). Ainda há outro suspeito, chamado João Gabriel, que é considerado foragido (foto abaixo).

Participação dos acusados no crime

As investigações mostraram que os seis presos estavam no clube onde a jovem passou a tarde, no dia em que foi morta. Há a suspeita de que ela possa ter sido atraída para lá para ser morta.

A polícia apreendeu os celulares dos suspeitos e descobriram que eles decidiram, pelo WhatsApp, matar Sâmya. Havia fotos da jovem nas conversas.

  • Herbert estava armado e forneceu a arma do crime;
  • Davdy pegou a arma e perseguiu Sâmya;
  • Felipe deu apoio à Davdy;

Suspeito morre

O sexto preso, suspeito de dar apoio aos executores e ser o mandante do crime, identificado como Herbert, de apelido Jibóia, morreu logo após ser preso, na quarta (10). Conforme a polícia, ele resistiu à prisão ainda no local em que foi encontrado, chegando a romper duas algemas.

Ele estaria, segundo o delegado-geral de Polícia Civil, Lucy Keiko, se recuperando de uma cirurgia devido a um acidente de moto. Logo após ser conduzido à sede do Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), o homem passou mal e morreu, conforme os delegados.

Quem era ela 

Samya Silva, de 21 anos, era uma digital influencer de Teresina. Ela possuiu quase 50 mil seguidores no Instagram. Nas suas redes sociais, Samya postava informações sobre seu dia a dia e sobre jogos de aposta em roletas online, conhecido como "Jogo do Tigrinho".

O crime

Samya havia passado a tarde em um clube na Zona Leste de Teresina, acompanhada de duas amigas. Elas postaram imagens se divertindo durante a tarde, momentos antes do crime.

Uma amiga da blogueira e influencer Samya Silva, 21 anos, a jovem Yrla Lima, testemunhou o homicídio da amiga e teve seu celular atingido por um tiro no momento do ataque a tiros.

 

 

Fonte: G1

Mais de Polícia