Curta a nossa página
 
29/11 06h32 2021 Você está aqui: Home / Cidades Da Redação Imprimir postagem

Prefeitura de Campo Maior (PI) autoriza 'limpeza geral' do berçário das garças

As garças são migratórias e podem migrar para outro local provocando um desequilíbrio ambiental na região.

A menos que o Ministério Público se manifeste e obrigue o município de Campo Maior a arborizar urgentemente, o ninhal de garças, batizado como “berçário das garças” será apenas memória do que já foi um viveiro natural de reprodução de centenas dessas aves. Localizada na BR-343 na entrada da cidade para quem vai de Teresina ao litoral do Piauí, o local vinha sofrendo devastação humana e na última semana foi feita uma "limpeza geral" com autorização da prefeitura 

No dia 16 de novembro a prefeitura de Campo Maior autorizou um pedido do proprietário do terreno para que ele fizesse uma “limpeza geral” no local. A destruição total das poucas árvores que ainda resistiam, e serviam para as garças fazerem seus ninhos, aconteceu na última sexta-feira (19).

IMAGENS DE COMO ERA O LOCAL


 

O Em Foco conversou com secretário de Meio Ambiente da prefeitura de Campo Maior, o ex-prefeito Marco Bona. Ele confirmou a autorização e disse que a ela se deu “após laudo de vistoria, feito depois de um incêndio ocorrido na área, em que foi constatada destruição da vegetação sem possibilidade de recuperação”.

A reportagem questionou se não seria o momento de uma ação da prefeitura para reflorestar o local, haja vista que é um local de procriação de aves? Bona disse que “pode ocorrer”. Que a “limpeza não descarta essa possibilidade”.    

O secretario ainda disse que “o que devastou a área foi o incêndio e não a limpeza. Assim sendo, independentemente da limpeza, o uso do local para feitura de ninhos esse período já estava prejudicado”. Que como outras aves que se encontram no açude, como patos, marrecos, jaçanãs entre outros, as garças certamente irão fazer os ninhos em algum terreno nas proximidades do açude, provavelmente na própria área. No terreno onde era o La Emi ou onde era o Café na Roça, que tem vegetação idêntica à destruída pelo fogo.”

Arvores grandes foram derrubadas

Questionado pela reportagem de que foram derrubadas árvores grandes, vivas e não apenas galhos secos queimados parcialmente pelo fogo, Marco Bona disse que nesse caso, vai exigir do proprietário compensação ambiental e acrescentou, em seguida, que foram derrubados dois angelins.

As garças são migratórias e podem migrar para outro local provocando um desequilíbrio ambiental na região.

SEQUÊNCIAS DE CRIMES AMBIENTAIS E NINGUÉM PUNIDO

A ação de ‘limpeza total’ da área, autorizada pela prefeitura de Campo Maior, foi apenas o derradeiro suspiro da pequena mata nativa onde essas aves usavam, há anos, para se reproduzirem. 

A construção de uma churrascaria (La Emi) foi o primeiro processo de expulsão das aves, mas o empreendimento faliu e as garças ficaram. Depois foram ações pontuais de roço e queimadas constantes. Um homem chegou a ser preso em flagrante pela polícia em 2017 (foto abaixo) quando roçava o local, a mando do proprietário, mas foi solto em seguida. Nunca se soube quem era o mandante.

Já os “fogueiros” anuais nunca foram se quer identificados. Pelo que as sabe, nem processo para se saber quem foram os criminosos foi aberto pela polícia.

O poder público, incluindo o atual prefeito João Félix, outros anteriores (Ribinha, Paulo Martins e o próprio João Félix), nunca fez nada para resolver situação, criando e regulamentando o local como uma unidade de refúgio de vida silvestre.

Em 2018, logo após um dos vários incêndios provocados ao local, o então vereador Fernando Miranda chegou a apresentar um projeto de desapropriação do terreno na câmara e foi aprovado, mas o projeto não foi sancionado e cumprido pelo executivo.

O Em Foco falou com Fernando Miranda para esta reportagem. Ele disse que vai fazer uma representação junto ao Ministério Público e a Procuradoria Geral de Justiça, e vai também pedir o afastamento do secretário de Meio Ambiente. Disse ainda que vai pedir ao executivo municipal a desapropriação do terreno e a recuperação da vegetação e a regulamentação e implantação do parque das garças.

BALÉ DE AVES: CARTÃO POSTAL

O local chegou a ser incluído como um dos cartões postais de Campo Maior, em tese de mestrado sobre turismo, da Professora Doutora Yolanda Flores e Silva. O balé de centenas de aves no fim da tarde, entre os meses de dezembro e março, realmente impressionava.


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
lista mais

Artigos relacionados