Curta a nossa página
 
19/06 09h43 2020 Você está aqui: Home / Cidades Bianca Viana Imprimir postagem

Covid-19: Leitos dos hospitais de Campo Maior e São Miguel do Tapuio atingiram 100% da lotação

Conforme a Sesapi, todos os dez leitos clínicos do Hospital de Campo Maior já estão ocupados, assim como todos os três leitos clínicos disponíveis no Hospital de São Miguel do Tapuio.

A rede de atendimento à Covid-19 no Piauí segue se encaminhando para um esgotamento. Pelo boletim sobre a situação das internações divulgado ontem (17) pela Sesapi (Secretaria Estadual de Saúde), o Estado já tem seis unidades hospitalares entre públicas e privadas com 100% de seus leitos clínicos ocupados por pacientes Covid.

Os dados apontam que a situação é crítica no Hospital Estadual José Furtado de Mendonça, em São Miguel do Tapuio, e no Hospital Regional de Campo Maior. Estas duas unidades não possuem mais leitos clínicos para atender pacientes Covid e não contam com leitos de UTI. Conforme a Sesapi, todos os dez leitos clínicos do Hospital de Campo Maior já estão ocupados, assim como todos os três leitos clínicos disponíveis no Hospital de São Miguel do Tapuio.

Na prática, isso torna as unidades médicas das duas cidades inabilitadas para receber eventuais pacientes Covid que precisem de internação, uma vez que toda a sua capacidade de recebimento para aqueles contaminados já está tomada. O principal polo de saúde para moradores de Campo Maior e São Miguel do Tapuio que precisarem ficar internados por Covid é Teresina. A capital também está numa situação preocupante, com cerca de 80% de seus leitos para pacientes graves ocupados.

O boletim da Sesapi mostra ainda que em Teresina mesmo já há hospitais com 100% de sua capacidade de internação para pacientes Covid-19 ocupada. É o caso, por exemplo, do Hospital São Marcos, que está com todos os seus 33 leitos clínicos para coronavírus ocupados e com todos os seus 30 leitos de UTI para Covid também sendo utilizados.

Ainda aqui em Teresina, inspira preocupação também o Hospital Geral do Monte Castelo, que recebe pacientes em casos intermediários de Covid-19: a unidade já está com todos os seus cinco leitos de UTI ocupados. Um deles com o senhor Elias Barroso da Silva, 65 anos, cuja filha denunciou na semana passada dificuldades de atendimento e transferência para uma unidade de alta complexidade para Covid. 

Além do São Marcos e do Hospital do Monte Castelo, a situação também é preocupante no Prontomed, que possui 30 leitos de UTI privados e todos eles já estão ocupados. Na mesma unidade, há ainda 30 leitos de UTI contratados pelo Governo do Piauí para receber pacientes regulados pelo SUS: destes, 23 já estão sendo usados.

O HUT também se encontra em uma situação delicada. É que 27 dos 30 leitos de UTI do hospital também já estão ocupados. Vale lembrar, no entanto, que a unidade está em vias de abrir um hospital de campanha em um anexo, com a abertura de mais 60 leitos para pacientes graves.

Uma situação que chama a atenção diz respeito ao Hospital Universitário (HU), em Teresina, que, segundo a Sesapi, tem 19 leitos clínicos disponíveis para pacientes Covid e 21 ocupados. O boletim não deixa claro como pode haver mais leitos ocupados do que o disponível. A taxa de ocupação do HU para leitos clínicos no momento é de 110%.

HU-UFPI vai aumentar capacidade de atendimento

No final da manhã de hoje (18), o HU-UFPI anunciou que está disponibilizando 65 leitos para internação e triagem de pacientes Covid. Segundo o hospital, foram feitas modificações nos postos de internação para atender aos pacientes de média e alta complexidade, mas sem contaminação, o que dá margem para que seja ampliada a capacidade de atendimento e internação aos pacientes Covid.

Atualmente, o HU-UFPI disponibiliza 65 leitos para internação e triagem de pacientes de Covid-19, dos quais 30 são leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 35 leitos de enfermaria. Para adequada organização interna destes leitos de enfermaria, de modo a não haver risco de contaminação dos demais pacientes internados nos outros postos do HU, foram definidos 18 leitos para triagem dos pacientes recém admitidos e 17 leitos para casos confirmados de Covid-19, mas que foram encaminhados para tratamento de outras doenças agudas e crônicas.

“No que se refere aos leitos de UTI, começamos com 9, fomos para 15, depois para 20, em seguida 24, e agora 30 leitos”, detalha o médico Jônatas Melo Neto, Gerente de Atenção à Saúde do Hospital. Tal expansão foi possível graças à habilitação dos leitos feita pelo Ministério da Saúde, bem como em razão da autorização para contratação emergencial de pessoal da área assistencial e incremento de recursos financeiros, destinados à aquisição de equipamentos, medicamentos e insumos hospitalares, que foram ações da Ebserh matriz. 

Hospital já contratou 119 profissionais temporários durante a pandemia

Desde abril, 119 novos profissionais temporários foram contratados para atuarem no HU-UFPI, a exemplo de fisioterapeutas, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, reforçando o quadro da equipe multiprofissional que presta assistência e cuidados aos pacientes com Covid-19.

O HU-UFPI fez também parcerias com outros órgãos públicos para que aumentasse sua área de terapia intensiva Covid-19, de 20 para 30 leitos. Assim, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina cedeu temporariamente cinco ventiladores e a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) disponibilizou cinco ventiladores, 10 monitores e 30 bombas para infusão de medicamentos intravenosos.


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.