Curta a nossa página
 
10/06 16h45 2018 Você está aqui: Home / Blog da Ana Ana Maria Cunha campomaioremfoco@hotmail.com

Blog da Ana

Ana Maria Cunha

campomaioremfoco@hotmail.com

Você está aqui: Home / Blog da Ana - com Ana Maria Cunha

VIVA SANTO ANTONIO, O SANTO CASAMENTEIRO

E viva o pau do santo, viva Santo Antonio! Viva o Santo casamenteiro!

Que alegria nosso festejo, do primeiro ao último dia! 

Tudo começa no dia 31 de maio... Quanta gente querendo “Pegar no pau do santo” casamenteiro, para pedir que lhe traga um amor verdadeiro, pedir felicidade o ano inteiro... (Para os que não conhecem, diz a lenda que aquele que pegar no pau do santo - no mastro da bandeira de Santo Antonio - se casará em menos de um ano) Parece até irônico para os tempos atuais, quando não se leva mais tão a sério o casamento, estar-se pedindo ao Santo que lhe arrume um matrimônio, mas é enorme a multidão que ainda faz este pedido, mesmo nestes tempos de modernidade.

E hoje está até fácil pegar no mastro de Santo Antonio, lembro ainda que a procissão era feita na carreira, e as pessoas no desespero de conseguir tocar no pau, acabavam caindo e se machucando, mas isso longe de desanimar os fieis e crentes nesta tradição, fazia o efeito contrário, e as pessoas se determinavam a conseguir o seu feito e no ano seguinte voltavam já para pagar a promessa feita. Sim, porque corre a fama que Santo Antonio arruma ligeiro para se desvencilhar da missão, embora não faça muito esforço na escolha. Dizem os mais velhos que Santo Antonio sempre atende os pedidos dos moços e moças casadoiras, mas que dá qualquer candidato, quer é se ver livre da incumbência. Dizem ainda que São José sim, este dá bom marido, escolhe com cuidado ao atender um pedido.  Eu mesma não sei de nada, ainda não  ocupei  nenhum dos dois com este tipo de solicitação, só ouço dizer... Como diria o filósofo, “Só sei que nada sei...”.

Mas o certo é que cada ano aumenta o número de pessoas que vêm fazer o pedido ao glorioso Santo Antonio e, até porque agora é mais fácil, já que a procissão se dá com todos caminhando normalmente,  o que facilita e muito a tarefa de tocar no mastro que, para a alegria de todos, este ano ficou bem maior.

Treze noites de novena, a igreja cheia, repleta de campo-maiorenses que moram fora e que conseguem vir à terrinha neste período de festejo para rever os amigos e familiares. Pessoas de outras cidades também vêm prestigiar nosso Padroeiro. E fica bonito de se ver, no final, a multidão, dentro e fora da Igreja Matriz, entoando o hino que não sei qual o mistério que ele tem, mexe com alguma coisa em nosso coração, que às vezes faz derramar lágrimas de emoção.

Cada ano aumenta o número de barracas e os barraqueiros se reinventam para chamar a atenção do público. E os intermináveis leilões? Entre balões e algodão-doce para a criançada, lá se acha de tudo: churrasco, tão cheiroso que dá água na boca, cerveja gelada, frito de tripa (a preço de ouro, e que a gente come com tanto gosto como se fosse o melhor manjar, e o mais incrível é que na casa da gente não tem o mesmo sabor... como explicar?), creme de galinha, maria-isabel, bolos, tortas, doces e outras guloseimas apetitosas por demais, que fica muito difícil resistir. Manter dieta durante os festejos? Nem pensar!

Na noite passada, eu estava sentada olhando os movimentos e, de repente me vi criança, numa época onde o festejo, apesar de nao ter as proporções que hoje tem, era já maravilhoso! Mas o que atraía mesmo meu olhar peril, era o jogo da “Barba da Velha” (não conseguia entender porque tinha esse nome, pois que eu saiba velha nem barba tem!) Gostava também de ouvir música da famosa banda de "Seu" Antonio Músico, ali eu ficaria até a noite toda ouvindo seus acordes que passavam pelos ouvidos e iam direto para minha alma, ali ficando gravados até hoje. Aquelas músicas encantavam nossas noites e deixavam mais bonito nosso festejo.

Não sei explicar direito, mas o festejo de Santo Antonio Aparecido de Campo Maior traz  realmente uma alegria  contagiante e uma energia inebriante... É inexplicável, parece que tem uma magia pairando no ar, no cheiro das coisas, no brilho das luzes, na música tocada pela banda municipal, no clima e até nas pessoas, o que me dá a certeza que todos os que aqui vêm neste período,  não esquecem jamais. 

Brincadeiras a parte, o que vemos além do folclore nos Festejos de Santo Antonio é uma grande demonstração de fé e alegria, pois durante as 13 noites da trezena,  as pessoas vão ali para pedir, agradecer, louvar ao santo e adorar a Deus. E na parte social, não menos grandiosa, vão para se confraternizar com os irmãos. É realmente um momento muito forte de nossa religiosidade e que retrata muito bem nossa cultura. 

E viva nosso padroeiro! E viva o pau do santo casamenteiro! E  viva Santo Antonio!


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.