Curta a nossa página
 
24/05 08h23 2018 Você está aqui: Home / Paragrafando Helder Felipe heldercm1@live.com

Paragrafando

Helder Felipe

heldercm1@live.com

Você está aqui: Home / Paragrafando - com Helder Felipe

Será que Campo Maior sabe aproveitar economicamente os Festejos de Santo Antônio?

Artigo de Helder Felipe

A cidade de Campo Maior já respira festa. De 31 de maio a 13 de junho, os campomaiorenses irão promover uma das maiores festas religiosas e sociais do Piauí, acolhendo inúmeros turistas, inclusive conterrâneos que atualmente moram em outros estados e países. Chegou a hora de festejar um dos santos mais populares do Catolicismo, Santo Antônio.

A festa é rica de fé, tradição e cultura. É a real identidade de um povo apegado a suas raízes. O cheiro das palhas da carnaúba parece combinar com o forró, com nossas comidas típicas e com a alegria das famílias e grupos de amigos que aproveitam essa época para se confraternizar.

Quando chega esse tempo de maio para junho, começo a me questionar se a cidade já percebeu a grandeza do evento que se aproxima. O festejo já é grande por si só, mas será que estão existindo iniciativas e políticas públicas que tenham como objetivo uma melhor exploração dele?

Infelizmente não estamos conseguindo acompanhar as mudanças tecnológicas e comerciais com agilidade. Em pleno 2018, é quase que inaceitável que alguém vá aos festejos e não consiga consumir nenhum produto por que a barraca não tem disponível uma simples máquina para passar um cartão de crédito ou débito. Isso ainda acontece, pasmem!

CRISE NO COMÉRCIO

Durante seu pronunciamento na Sessão Extraordinária da última terça, dia 22, o vereador Hamilton Segundo destacou que o comércio de Campo Maior está vivendo uma crise econômica enorme, que não tem dinheiro circulando dentro da cidade e que muitas demissões estão acontecendo. De fato, isso é notório. O que se pode fazer para mudar essa situação?

A solução é CRIATIVIDADE! É o comércio saber aproveitar as oportunidades, como os Festejos de Santo Antônio, para se modernizar e se profissionalizar ainda mais. Aliado a isso, é preciso investimento públicos que estimulem o turismo.

O lado bom disso tudo é que, anualmente, com ou sem crise, o campo-maiorense, barrista que é, não abre mão de tomar uma cerveja e comer uma carne de sol nas barracas, de levar seus filhos no parque da praça do rosário, de participar dos leilões, de demonstrar a sua fé em seu padroeiro do coração... E por aí vai!

Por Helder Felipe

Instagram: @helderfelipec

Facebook: @heldercm1

E-Mail: heldercm1@live.com .


  Tags:

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.