Curta a nossa página
 
03/03 19h47 2017 Você está aqui: Home / Pensando a História Marcus Paixão mvpaixao@yahoo.com.br

Pensando a História

Marcus Paixão

mvpaixao@yahoo.com.br

Você está aqui: Home / Pensando a História - com Marcus Paixão

Fim do Mistério sobre a data da Freguesia de Santo Antônio do Surubim

Uma das mais antigas e misteriosas lacunas sobre a história de Campo Maior foi resolvida: a data da criação da Freguesia de Santo Antônio do Surubim. Nas últimas décadas essa foi uma das maiores buscas dos historiadores do Piauí. Jamais se tinha chegado à conclusão sobre a data correta da criação da Freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior. Sabia-se sobre as demais freguesias piauienses, mas a de Campo Maior era um mistério.

 

Na manhã de ontem, enquanto conversava com o professor Fonseca Neto, chefe do Departamento de História da Universidade Federal do Piauí, discutíamos sobre a história de Campo Maior e o papel da igreja nos primeiros momentos de vida daquela povoação. Ao discutirmos sobre a data da criação da freguesia, o professor analisou os argumentos do padre Cláudio Melo, bem como minha própria posição, no livro Campo Maior Origens.

 

As datas para a criação da Freguesia de Santo Antônio do Surubim sempre eram remotas. Padre Cláudio assegurava sua existência em meados de 1711, quando a igreja de Santo Antônio foi instalada em Campo Maior. Ele também defendia a possibilidade da freguesia ter sido criada na primeira visita às terras dos Alongases, quando o padre Miguel de Carvalho percorreu o território do norte. Mesmo sem igreja, ele pensava que naquela ocasião poderia ter acontecido a criação da Freguesia do Surubim, de Santo Antônio. Faltava a prova final para sustentar a hipótese, que, aliás, fazia muito sentido. A primeira documentação que registra a expressão “Freguesia de Santo Antônio do Surubim” encontra-se numa correspondência onde o nome de Manoel de Carvalho é citado como um morador da dita freguesia. Essa data me fez acreditar que a data mais confiável que tínhamos, até o momento, seria o ano de 1713, ou mesmo um ou dois anos antes. Essa foi minha posição sobre a origem da Freguesia de Santo Antônio.

 

Eu escrevi em Campo Maior origens: “A freguesia de Santo Antônio do Surubim foi instalada entre os anos de 1711 a 1713. Prova disso são as referências em correspondências dessa época apontando algumas pessoas que moravam na dita freguesia em 1713”. O raciocínio era simples: se havia menção na existência dessa freguesia em 1713, era sensato entender que ela foi criada nesse mesmo ano ou em data anterior, o que me levava a recuar a data proposta pelo padre Cláudio Melo, na ocasião da construção da igreja de Santo Antônio. Por isso a indecisão entre os anos de 1711 a 1713. Não tinha dúvidas de que sua criação se dera dentro desse espaço cronológico.

 

Nas pesquisas do professor Fonseca Neto, trabalho de grande envergadura sobre o bispado piauiense, ele encontrou um documento de Dom Manuel, bispo do Maranhão, onde ele comunica ao rei de Portugal a criação da freguesia de Santo Antônio do Surubim. A profundidade das pesquisas sobre o bispado do Piauí, o levou a inquietação quanto à origem da Freguesia do Surubim, que consistia em grande mistério. Conforme a carta do bispo do Maranhão, Dom Manuel da Cruz, a freguesia foi criada em 1740. A carta é datada de 1741:

 

“Senhor. Foi vossa Majestade servido por resolução expedida da Mesa da Consciência e Ordem em 20 de maio de 1740 criar de novo na freguesia da vila da Mocha mais duas freguesias com párocos colados, uma na ribeira da Gurguéia, e outra no distrito da Caatinguinha; como também foi servido criar, e erigir mais em novas vigarias coladas os curatos das igrejas de Santa Maria da Vila do Icatu, Nossa Senhora do Carmo do Piracuruca, Santo Antônio do Surubim...”

 

Na carta do bispo, ele indica que em 20 de maio de 1740, foi expedido criar na freguesia do Mocha (Oeiras) mais duas novas freguesias, e em seguida menciona que erigiu “mais” freguesias em novas vigarias, incluindo aí a menção de Santo Antônio do Surubim. Conforme Fonseca Neto essa é a data da criação da Freguesia de Santo Antônio do Surubim.

 

Sobre as correspondências e a presença desse bispo do Maranhão na região do Surubim, faça menção em Campo Maior Origens (p. 41), demonstrando que a partir daquele momento as delimitações da freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior estava mais bem estabelecida, e, apontando que havia uma disputa entre o bispado do Maranhão e o de Pernambuco, nas delimitações territoriais. Foi o professor Fonseca Neto que me fez compreender que a visita dele, além do fato que eu descrevi, serviu para criar a freguesia do Surubim, por isso essa delimitação tão precisa.

 

Enquanto eu discutia com o professor Fonseca Neto sobre essa carta e essa data de 1740, sobre as delimitações territoriais, perguntei-lhe sobre a menção das datas mais remotas, como a de 1713, já mencionando a existência da freguesia de Santo Antônio do Surubim. Essa data, segundo Fonseca Neto, deve ser vista como um momento em que a freguesia existia na informalidade, pois ainda não tinha sido literalmente ou oficialmente criada pela igreja. Já era uma freguesia porque já havia a igreja instalada, o cura já oficiava regularmente, e os “fregueses” já estavam lá, mas tratava-se de uma freguesia futura ou freguesia não oficial, mas que já era conhecida assim por causa da igreja e da certeza de que seria criada. A menção a freguesia de Santo Antônio em 1713 não significa que ela já existisse por criação de um bispado. A data exata, concreta, é mesmo o ano de 1740, conforme a carta com as informações da sua criação, em destinada ao rei no ano seguinte, 1741.

 

Uma cronologia dos estudos sobre a Freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior pode ser compreendida da seguinte forma:

 

1697 – O padre Miguel de Carvalho visita a região norte para conhecer os termos da freguesia do Mocha. Por ser de enorme extensão (todo o território do Piauí), entende que uma nova freguesia precisa ser criada.

 

1711 – Outro padre, Tomé de Carvalho, visita a mesma região e, com ordens do bispo de Pernambuco, constrói a igreja de Santo Antônio em Campo Maior. Essa foi a primeira data a se cogitar a criação da freguesia de Santo Antônio.

 

1713 – Em uma carta encontramos a menção de pessoas que moravam na freguesia de Santo Antônio do Surubim. Essa foi a outra data pensada para a criação da freguesia, já que ela já é mencionada.

 

1715 – O bispo de Campo Maior encontrou no anuário católico o ano de 1715.

 

1740 – Data em que, segundo consta na correspondência do bispo do Maranhão, Dom Manuel da Cruz, a freguesia foi concretamente criada e o fato comunicado ao rei de Portugal em 1741. 

 


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.