Curta a nossa página
 
12/08 10h16 2017 Você está aqui: Home / Cidades Por Otávio Neto Imprimir postagem

“Só celebridades vão se eleger”, critica Regina Sousa aprovação do distritão

A senadora esteve em Campo Maior na abertura do curso sobre gênero e defesa da mulher

Na abertura do curso de extensão sobre gênero e violência contra a mulher, na noite desta sexta-feira (11/08), em Campo Maior, a senadora Regina Sousa criticou a aprovação do sistema “distritão” na Comissão Especial da Câmara que analisa a proposta de reforma política. A petista acredita que esse sistema eleitoral diminui a representatividade das mulheres. 

“O homem domina todos os espaços. Ninguém tem culpa. É cultura. Ele aprendeu assim. É preciso dividir esse espaço melhor. E se aprovar aquela reforma que está lá (na Câmara) do “distritão” aí é que mulher não vai ter mais vez. Se aquele projeto de reforma política for aprovado só celebridade vai se eleger”, disse a senadora. 

No sistema “distritão”, deixa de valer o voto em legenda e em coligações. O eleitor vota num candidato a vereador, deputado estadual e deputado federal. Os mais votados vencem a disputa. Caso seja aprovado no congresso, as eleições para cargos do legislativo se tornam idênticas ao executivo (majoritária). O texto aprovado na comissão segue para o plenário da Câmara. 

Defesa da Mulher
O curso Gênero e Defesa da Mulher - realizado pela Coordenadoria de Políticas para as Mulheres de Campo Maior e a subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB- Campo Maior) - acontece até a próxima sexta-feira (18/08) com palestras e debates. O evento reúne estudantes universitários do município. 

Na abertura nesta sexta, a senadora Regina Sousa defendeu que a saída para solução da violência contra a mulher é a educação. “Só se resolve o problema da violência contra a mulher no dia que for discutido com os homens. Não basta debater com as mulheres. Tem que trazer os homens pra discussão. E a saída é a educação, não tem jeito. Tem que educar pra não sentir vontade de agredir”, defendeu Regina. 

A Subsecretária de Segurança Pública do Piauí, delegada Eugênia Vila, apresentou o aplicativo Salve Maria como uma das formas avançadas de denunciar casos de violência. “É o único Estado do Brasil que possui essa ferramenta. Você baixa o aplicativo no celular. No dia que souber ou ver uma mulher sendo agredida você abre o aplicativo aperta o botão e em pouco tempo uma viatura da polícia chega ao local”, explicou. 

O curso segue de segunda até a sexta da próxima semana. Os debates acontecem às 18h no auditório da Universidade Estadual do Piauí em Campo Maior. 
 


  Tags:

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
lista mais

Artigos relacionados